Busca

Notícias

conteúdo principal

TerPaz promove empoderamento feminino no bairro do Icuí-Guajará em Ananindeua

24/09/2021

O Projeto 'Ela Pode' é uma parceria do Governo do Pará, por meio da Sectet e Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp)

Mudança. Esse é o sentimento descrito pela dona de casa, Ana Cláudia Fernandes, de 42 anos, moradora há 20 anos do bairro do Icuí-Guajará, em Ananindeua. Ela participa do projeto “Ela Pode”, e quer começar a empreender. “Essa ação é muito boa e veio agregar muito no nosso bairro, principalmente, para as mulheres que estão buscando novos rumos e novas oportunidades", disse Ana Cláudia.

"Já queria começar a empreender, mas não tinha noção de como poderia iniciar esse novo negócio, e agora estou tendo esse direcionamento e pretendo começar a empreender”, acrescentou a moradora Ana Cláudia, que ao lado de outras moradoras participou da ação iniciada, na manhã desta quinta-feira (23) e que segue até o final do dia, no Instituto Afro Brasileiro Imaculada Conceição, no bairro do Icuí-Guajará em Ananindeua.

Delma Braga, gestora do território, destacou a importância da diversidade do programa, que abrange todas as culturas.“Hoje nós estamos aqui neste instituto, que é de matriz africana, mostrando a diversidade do TerPaz, que entra em todos os territórios, independente das crenças. Durante o projeto, as mulheres aprendem como empreender, além disso, como desenvolver a sua autoestima’’, concluiu a gestora do TerPaz no Icuí-Guajará.

O Projeto "Ela Pode" é uma parceria do Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), com a Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp), nas áreas de abrangência do TerPaz. A metodologia é do Instituto Rede Mulher Empreendedora, que integra a Rede Mulher Empreendedora, apoiadora do empreendedorismo feminino no Brasil.

Durante as capacitações, são trabalhadas as seguintes temáticas: assertividade, liderança, redes de relacionamento, finanças e ferramentas digitais. Elas também participam de dinâmicas que ajudam na construção de redes de relacionamento, formação de rede de apoio e troca de saberes, para se sentirem mais fortalecidas.

‘’Nós atuamos nos 7 territórios atendidos pelo programa TerPaz, já realizamos outras ações aqui no bairro do Icuí, mas hoje é a primeira vez que estamos aqui no Instituto Afro Brasileiro Imaculada Conceição, aqui nós vamos trabalhar diversas temáticas que envolvem: a autonomia financeira e emocional de mulheres, para que elas possam ter a sua geração de fonte de renda e essa emancipação, consigam tomar as suas decisões, desenvolver a suas atividades empreendedoras e também entrar no mercado de trabalho mais qualificadas’’, afirmou a coordenadora do Projeto Ela Pode, Helen Gonçalves.

Transformação

A autônoma Rita Silva, de 43 anos, vai colocar em prática em seu empreendimento, os conhecimentos adquiridos durante o projeto.

“Eu fiquei muito surpresa porque nunca havia participado de um projeto de incentivo ao empoderamento. Estou aprendendo bastante coisa e pretendo empregar o que aprendi aqui nos meus negócios, já que trabalho com vendas”, concluiu a participante.

A carga horária da capacitação é de 8 horas presenciais e 8 horas on-line, com acesso gratuito e ilimitado à "Trilha Empreendedora", plataforma que apresenta uma série de vídeos exclusivos, com temas atuais, para quem quer começar um negócio ou para quem já está no empreendedorismo.

SERVIÇO

Os próximos territórios beneficiados serão o da Terra Firme, nos dias 27 e 28, no Espaço Cultural Panambi Preta, de 8h às 12h e o do Benguí, nos dias 29 e 30, na Escola Maria Amoras, das 8h às 12h.

Texto: Elizabeth Teixeira (Ascom/Seac)

Fotos: Ascom/Seac