Busca

Notícias

Início » Notícias » Tecnolago
conteúdo principal

Tecnolago

26/04/2018

Sectet apoia implantação do ambiente de inovação do Lago de Tucuruí

Na noite da última terça-feira (24), a secretária adjunta e mais quatro servidores da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) se reuniram, em Tucuruí, com pesquisadores, professores, estudantes, representantes da iniciativa privada, do Sistema S, do Banco da Amazônia, de secretarias municipais e estaduais no intuito de balizar a política de implantação de um ambiente de inovação na Região, que seria o Parque Tecnológico do Lago de Tucuruí (Tecnolago), o qual surgiu como uma subunidade do Núcleo de Desenvolvimento Amazônico em Engenharia (Ndae) da Universidade Federal do Pará (UFPA).

Para o diretor geral do Ndae, Aarão Ferreira Lima Neto, a debate sobre o assunto é de extrema importância. “Esse tipo de evento é que vai facilitar com que o Tecnolago aconteça, nós precisamos de todas as iniciativas, a participação de toda a sociedade porque o Parque é uma ferramenta para gerar emprego, implementar renda e trazer inovação e empreendedorismo para a região, então sem essas pessoas nós não teríamos como levar a frente. Estamos mais próximos de tirar o Tecnolago do papel”, comemora o diretor que explicou que o estatuto do Parque só aguarda a aprovação do Conselho Superior da Universidade.

Na oportunidade, a adjunta da Sectet, Maria Amélia Enríquez, apresentou os detalhes do Programa Inova Pará, amparado pela Lei no 8.426, de 16 de novembro de 2016, a qual dispõe sobre incentivos à inovação, à pesquisa científica e tecnológica e à engenharia não rotineira, além da política estadual de incentivos fiscais. O Inova Pará parte da premissa que, para romper com o modelo extrativista, presente na economia paraense, é indispensável que o Estado apoie a criação de Sistemas Regionais de Inovação (SRI) a fim de que propiciem suporte necessário à agregação de valor das cadeias produtivas estratégicas. Em sua concepção, o Programa acredita no potencial produtivo e inovador das distintas regiões do estado.

A Secretária destacou que os ambientes de inovação são um dos principais pilares da competitividade e de desenvolvimento socioeconômico regional. “É um grande desafio alavancar as cadeias produtivas tradicionais em um estado com dimensões continentais, não há outro caminho senão inovar no próprio território. A ideia da Secretaria é criar condições para a instalação de ambientes de inovação em cada uma das regiões de integração”, revelou.

Maria Amélia Enríquez explicou ainda que execução do Inova Pará se divide em cinco etapas: Identificação qualificada de demandas regionais; Concepção do Sistema a ser implantado; Implantação de fato; Gestão dos Sistemas Regionais de Inovação; e Acompanhamento e Avaliação de Resultados. Para a adjunta, a Região Lago de Tucuruí possui grandes potenciais na área de turismo e agronegócio, por exemplo, ainda pouco explorados.

Para o coordenador de apoio ao empreendedorismo e à inovação da Sectet, Wander de Oliveira, é importante trabalhar no sentido de levar o saber da academia para o setor produtivo e empresas, gerando emprego e renda para a região e, principalmente, melhorando a qualidade de vida das pessoas. “O papel da Sectet é justamente fazer essa aproximação”, esclareceu.

O representante de uma grande empresa instalada na região, Vinícius de Almeida revelou que, muitas vezes, simples inovações podem fazer toda a diferença na produção. “Gostei muito do que ouvi. A indústria é muito carente de conhecimento, às vezes um conhecimento básico, um funcionário bem qualificado, bom suporte de prestadores de serviços, podem contribuir bastante no processo”, enfatizou.

Implementação - Dentre as iniciativas já implementadas pelo Programa Inova Pará, a secretária adjunta destacou o Parque de Ciência e Tecnologia (PCT) Guamá, instalado em Belém, apontado como o locus de inovação no estado; o Centro de Pesca e Piscicultura do estado do Pará, localizado em Bragança; o Polo Científico-Tecnológico do Mar e Petróleo em Salinópolis; e a implantação de uma incubadora com atuação na região do Xingu.

O espaço em que o Tecnolago será instalado foi visitado pelos representantes da Secretaria na tarde do dia 24. Eles ficaram admirados com a área do lugar que está destinado à iniciativa e o potencial gerador de pesquisas e negócios que ele tem a desenvolver.

Encontro – Durante a manhã e tarde do dia 24, a equipe da Sectet também realizou, em Tucuruí, o “I Encontro Estadual de Educação Profissional e Tecnológica”, que teve o objetivo de discutir, de forma conjunta e articulada, a execução do Programa Pará Profissional, também coordenado pela Sectet, como experiência de política pública para o desenvolvimento inter-regional, inclusão produtiva e oportunidades de trabalho. O formato do Encontro será replicado nas demais regiões de integração do estado. Na Região Lago de Tucuruí, a Secretaria contou com a parceria da Prefeitura Municipal e do Comitê Gestor Intersetorial de Educação Profissional e Tecnológica de Tucuruí.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)