Busca

Notícias

conteúdo principal

Simpósio internacional debate o avanço da cadeia produtiva do açaí no Estado do Pará

25/08/2016

Ocorreu, na manhã desta quinta-feira (25), a abertura do II Simpósio Internacional da Cadeia Produtiva do Açaí, cujo tema este ano é Segurança Alimentar e Nutricional. O evento é realizado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Sectet) e pela Universidade Federal do Pará (UFPA), e tem por objetivo promover a troca de conhecimentos e o debate em torno da qualidade do açaí consumido e comercializado no Pará.  

O titular da Sectet, Alex Fiúza de Mello, o secretário de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), Hildegardo Nunes, e o secretário de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Adnan Demachki, participaram da mesa de abertura e destacaram o evento como um importante espaço para se discutir propostas que elevem as potencialidades da cadeia produtiva do açaí no Estado.

O secretário Alex Fiúza de Mello destacou que o açaí possui inúmeras possibilidades para se desdobrar em geração de emprego e renda no Estado, mas, para isso, é preciso investir em conhecimento e inovação. “O açaí pode ser aproveitado na indústria farmacêutica, na de fármacos e cosméticos, mas precisa haver um estímulo para o desenvolvimento de produtos aqui no estado e é isso que a Sectet vem fazendo, apoiando pesquisas no setor e incentivando empresas inovadoras”.

O secretário Adnan Demachki destacou que o Pará é o maior produtor mundial de açaí, mas o estado do Ceará destaca-se como o maior exportador de produtos industrializados derivados do fruto. Dados como esse revelam uma necessidade de promover uma maior industrialização do setor no estado e superar o modelo extrativista vigente. “O açaí está entre as 13 cadeias produtivas estratégicas priorizadas no Programa Pará 2030. Nele, traçamos estratégias para triplicar a receita gerada pelo açaí no estado. A ideia é dar apoio a todos os atores da cadeia do açaí, desde o produtor, passando pelos batedores, até o empresário”, informou Demachki.

Na palestra “Políticas governamentais para a cadeia produtiva do açaí”, o secretário Hildegardo Nunes apresentou o Programa Pró Açaí, que tem por objetivo contribuir com o aumento da produção no estado, por meio da melhoria do manejo e enriquecimento dos açaizais de várzeas e da implantação de açaizais irrigados em áreas de terra firme. “A Sedap, em parceria com empresas e diversas instituições, está atuando para que o papel do açaí como commoditie seja ampliado para atender o mercado externo e, assim, ampliar nosso PIB, sem que falte açaí de qualidade e bom preço na mesa do paraense”, destacou o titular da Sedeme.  

A secretária adjunta da Sectet, Maria Amélia Enriquez, encerrou a palestra falando de alguns investimentos importantes que a Secretaria tem feito para potencializar a cadeia produtiva do açaí no estado. Entre as iniciativas, a secretária ressaltou o benefício fiscal concedido a empresas inovadoras, a implantação do Espaço Inovação e os editais voltados à formação de Redes de Pesquisa para o setor.

O evento prossegue no Instituto de Ciências Jurídicas da UFPA até sábado (27), com uma programação variada que inclui mesas redondas, palestras, minicursos e visitas técnicas. Na ocasião, empresários, gestores públicos e especialistas de diversos lugares do Brasil e do mundo debaterão questões como o melhoramento da produção, nichos de mercado e tecnologias aplicadas ao açaí e derivados.

O evento conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Embrapa Amazônia Oriental, Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisa (Fapespa), Universidade Estadual Paulista (Unesp), Ministério das Comunicações, Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e Associação dos Vendedores Artesanal de Açaí de Belém (Avabel).

Para mais informações, acesse: www.doity.com.br/sinter.

Texto: Ana Carolina Pimenta - Ascom Sectet

Fotos: Claudio Santos - Ag. Pará de Notícias