Busca

Notícias

Início » Notícias » Sectet promove visita de estudantes e professores à fábrica de chocolates em Medicilândia
conteúdo principal

Sectet promove visita de estudantes e professores à fábrica de chocolates em Medicilândia

06/12/2017

Um grupo de estudantes e professores dos cursos de engenharia agronômica e do curso técnico em administração do campus de Altamira da Universidade Federal do Pará e Instituto Federal do Pará, respectivamente, visitaram hoje, 06, a fábrica de chocolate da empresa Cacauway, localizada no município de Medicilândia. A atividade integra a “Semana do empreendedorismo inovador para a cadeia produtiva do cacau”, uma iniciativa da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) para disseminar a cultura do empreendedorismo, da tecnologia e da inovação na região do Xingu.

A Cacauway surgiu a partir da união de agricultores familiares, em 2010, e hoje desponta como uma das mais importantes fábricas de chocolate da região Norte. A empresa utiliza desde os frutos até as folhas do cacaueiro, produzindo amêndoa torrada “in natura”, chocolate em pó, barras, trufas, licores, geleias e artesanatos. Os visitantes puderam conhecer as etapas da linha de fabricação e participaram de degustações dos produtos da empresa.

“É a primeira vez que venho à fábrica e fiquei muito feliz em saber os detalhes da fabricação dos chocolates. É gratificante saber que, na nossa região, temos produtos de boa qualidade, com grande potencial para ganhar mercado internacionais, inclusive”, opina a estudante da UFPA, Mauricéia Medeiros.

A semana do empreendedorismo inovador celebra o início da implantação da Incubadora de Empresas do Xingu, que será instalada no Campus de Altamira da UFPA. “Os estudantes que hoje visitaram a fábrica são fundamentais no projeto da incubadora, pois serão os bolsistas das empresas incubadas e os futuros empresários da região”, afirma o professor do curso de Engenharia Agronômica da UFPA, Rainério da Silva.

No turno da tarde, o evento continuou com a oficina sobre os processos para se incubar uma empresa, ministrada pelo especialista e técnico da Sectet, Wander Oliveira, seguido por uma sessão de depoimentos dos parceiros e participantes da semana sobre a futura incubadora do Xingu. “Sempre houve um sonho de industrializar o cacau aqui na região. A incubadora é um mecanismo interessante na concretização desse anseio, pois fará com que pequenos produtores produzam produtos diferenciados no mercado”, espera o assessor técnico da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), Alino Bis.

A secretaria adjunta da Sectet, Maria Amélia Enríquez, avaliou de forma positiva os resultados obtidos com a realização do evento para a implantação da incubadora. “O sucesso de uma incubadora está nas parcerias e no trabalho em rede. Esse evento foi fundamental para dar início a tudo isso. A incubadora será um importante mecanismo para agregar a cultura da inovação à cadeia produtiva do cacau, que já possui iniciativas brilhantes, mas sem apoio técnico, científico e governamental para alavancar esses projetos e melhorar o cenário da indústria cacaueira na região”, finaliza a secretária.

O evento contou com o patrocínio do Sebrae-Pa e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar); e com o apoio do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRS-X);  do Sindicato dos Produtores Rurais de Altamira (Siralta); da Ceplac; da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater-Pará); da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap); da Agência de Inovação Tecnológica da Universidade Federal do Pará (Universitec-UFPA).

Texto: Igor de Souza – Ascom Sectet