Busca

Notícias

Início » Notícias » Projeto CELCOM chega à comunidade de Campo Verde em Concórdia do Pará
conteúdo principal

Projeto CELCOM chega à comunidade de Campo Verde em Concórdia do Pará

23/02/2018

Localizada a 40 quilômetros do centro de Concórdia do Pará, a comunidade de Campo Verde recebeu, no dia 22 de fevereiro, a caravana do Projeto CELCOM, que foi inaugurado no local e marcou o início de um novo tempo tanto para os realizadores do projeto quanto para a Associação das Comunidades Remanescentes de Quilombo Nova Esperança de Concórdia do Pará (Arquinec), da qual a comunidade faz parte.

O projeto se integra ao TecSocial, programa coordenado pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica do Pará (Sectet) que tem o objetivo de promover a execução de projetos de Tecnologias Sociais voltados à melhoria da qualidade de vida das populações vulneráveis. O TecSocial ainda se apresenta como uma ação de outro programa coordenado pela Secretaria, o Inova Pará, amparado pela Lei no 8.426, de 16 de novembro de 2016, que dispõe sobre incentivos à inovação, à pesquisa científica e tecnológica e à engenharia não rotineira, além da política estadual de incentivos fiscais.

O CELCOM consiste de um conjunto de soluções tecnológicas abertas (open-source) e ações sociais para prover acesso à telefonia celular GSM (2G) e Internet para comunidades isoladas e esparsamente povoadas da região Amazônica. Além de ser um projeto de pesquisa com forte impacto social desenvolvido pelo Nucleo de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações, Automação e Eletrônica (LASSE), coordenado pelo professor Aldebaro Klautau da Universidade Federal do Pará (UFPA), o CELCOM é um laboratório vivo para atividades de ensino de telecomunicações e computação, proporcionando aprendizado prático a alunos da UFPA e outras instituições.

Após cinco meses de trabalhos de implantação e legalização, o evento da “Caravana CELCOM” marcou a entrada em funcionamento do primeiro módulo de telefonia comunitária do sistema GSM CELCOM, em que os comunitários de Campo verde podem efetuar chamadas locais e enviar SMS entre si. A “Caravana CELCOM” reuniu a equipe do projeto e outros grupos da UFPA para levar ações de popularização da Ciência e Tecnologia para a comunidade quilombola, que foram: os voluntários do Programa Especial de Treinamento Inclusivo (PETi) CELCOM, PETi Miritrônica, Ramo Estudantil IEEE UFPA Belém, e integrantes do Museu Interativo da Física (MINF).

A recepção à Caravana na comunidade reuniu cerca de 50 pessoas, entre adultos, jovens e crianças. A extensa programação iniciou às 10h da manhã com as boas-vindas e distribuição dos participantes dentre as atividades oferecidas. O curso de inclusão digital foi ministrado pelos voluntários do PETi CELCOM, com o objetivo de familiarizar os jovens com a internet e mostrar ferramentas de comunicação nesse ambiente. A palestra sobre internet segura foi ministrada pelo Ramo Estudantil IEEE UFPA Belém como parte da programação do “Safer Internet Day” 2018 (SID 2018), com o objetivo de alertar para os perigos da Internet e promover o respeito on-line.

A exposição de ciências foi feita pelo MINF, que apresentou os experimentos físicos da pilha, do telefone e do telégrafo para a comunidade. A palestra do PETi Mitrônica apresentou experimentos com a placa Arduino e cativou a muitos com o robô de miriti apelidado de Wall-TI (referência ao filme Wall-E). Foi realizada ainda uma reunião sobre o Projeto CELCOM com as lideranças da Arquinec a fim de instruir sobre o funcionamento do sistema, cuidados com os equipamentos e treinamento para cadastramento de usuários.

Projeto

O projeto CELCOM se contrapõe ao fato da maioria dos programas de inclusão dependerem exclusivamente de tecnologias que foram e estão sendo desenvolvidas para realidades opostas às de suas comunidades-alvo. O CELCOM realizará pesquisas e desenvolverá soluções tecnológicas inovadoras para o problema da exclusão digital e isolamento das comunidades rurais, tendo como base tecnologias livres e abertas para funcionamento de redes de acesso comunitárias, além de investigar algoritmos eficazes para transmissão em fibra óptica visando à indústria nacional.

O financiamento para o projeto piloto de Campo Verde foi proporcionado pela Sectet e pelo programa “EPICS in IEEE”, da Fundação dos Engenheiros Eletrônicos e Eletricistas (IEEE) em Nova York. Também essencial para o sucesso do projeto têm sido as parcerias com: UFPA; Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Pará (PRODEPA), que auxilia na parte técnica e com enlaces para comunicação; Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL), que regulamenta o uso do espectro e orienta acerca; e a ONG Rhizomatica, a qual compartilha o know-how adquirido na gerência de redes comunitárias de telefonia no México e outros países.

Inova Pará

O Inova Pará parte da premissa que, para romper com o modelo extrativista, presente na economia paraense, é indispensável que o Estado apoie a criação de Sistemas Regionais de Inovação (SRI) a fim de que propiciem suporte necessário à agregação de valor das cadeias produtivas estratégicas. Em sua concepção, o Programa acredita no potencial produtivo e inovador das distintas regiões do Estado. Dessa forma, cabe ao TecSocial preparar uma atmosfera favorável à implantação de tecnologias inovadoras nas comunidades.

Texto: Ascom/Sectet com informações do Lasse/UFPA