Busca

Notícias

Início » Notícias » Parque de Ciência e Tecnologia amplia incentivo à inovação com o Espaço Empreendedor
conteúdo principal

Parque de Ciência e Tecnologia amplia incentivo à inovação com o Espaço Empreendedor

06/03/2018

O Governo do Estado inaugura, nesta quarta-feira (7), no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT Guamá), em Belém, um ambiente voltado ao estímulo do ecossistema de inovação. Trata-se do Espaço Empreendedor, que servirá de apoio à instalação de empresas e startups. A inauguração terá a presença do governador Simão Jatene, entre outras autoridades.

Com cerca de 3,5 mil metros quadrados de área interna e investimentos de mais de R$ 11 milhões, o prédio abriga 36 salas de três tamanhos distintos (36, 72 e 100 metros quadrados), ideais para a instalação de pequenos e médios empreendimentos. O novo espaço complementa o complexo arquitetônico do PCT Guamá, em conjunto com o prédio Espaço Inovação, que foi inaugurado em junho de 2016, e hoje abriga laboratórios de pesquisa e desenvolvimento e empresas de base tecnológica mais madura.

"O Espaço Empreendedor compõe, junto com o Espaço Inovação, o complexo arquitetônico central do Parque Tecnológico Guamá. Enquanto o Espaço Inovação acolhe laboratórios tecnológicos de ponta, para serviços às empresas, o Espaço Empreendedor, mais voltado ao empreendedorismo, acolherá as empresas de base tecnológica e startups e desenvolverá incubação de novos empreendimentos”, explica o titular da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), Alex Fiúza de Mello. “O Espaço Empreendedor é destinado a gerar uma economia do conhecimento no Pará, em apoio à verticalização de cadeias produtivas estratégicas”, continua.

As principais diferenças entre o Espaço Empreendedor e o já operante Espaço Inovação se referem ao tamanho das salas e ao valor do metro quadrado. Como o novo prédio tem áreas menores, o valor da cessão onerosa de uso fica mais competitivo para empresas iniciantes. O edital de instalação, de nº 4/ 2017-FCTG, foi lançado em dezembro para selecionar pessoas físicas que tenham projeto de abrir empresa e pessoas jurídicas interessadas em se instalar nos módulos do Espaço Empreendedor.

Os projetos selecionados serão atendidos pelos serviços do portfólio do Programa de Criação e Desenvolvimento de Empresas (PCDE) Guamá Business, preferencialmente em áreas de atuação do PCT Guamá, com o intuito de agregar valor ao negócio, aperfeiçoar e desenvolver produtos ou serviços com novas tecnologias, interagir com os laboratórios instalados no PCT Guamá para promover a transferência de tecnologia desenvolvida nesses laboratórios, gerar empregos qualificados e atuar em um ambiente que promova a interação entre os diversos atores envolvidos no processo de inovação tecnológica no Estado do Pará. O edital é de fluxo contínuo até a ocupação total do prédio.

Pioneirismo
O PCT Guamá é o primeiro parque tecnológico a entrar em operação na região Norte. Tem o papel de estimular o empreendedorismo inovador e promover a transferência de tecnologia para o desenvolvimento de produtos e serviços de maior valor agregado e que sejam competitivos. Construído com recursos do Governo do Estado, o parque tem gestão da Fundação de Ciência e Tecnologia Guamá, por meio de convênio com a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), que dá aporte financeiro de manutenção.

O parque está ainda no rol de ações do Programa Inova Pará, coordenado pela Sectet, que tem a finalidade de favorecer a geração e disseminação de inovações tecnológicas, conectando as instituições de ensino e pesquisa ao setor produtivo, no intuito de promover o desenvolvimento sustentável do estado do Pará.

O Programa Inova Pará é amparado pela Lei no 8.426, de 16 de novembro de 2016, que dispõe sobre incentivos à inovação, à pesquisa científica e tecnológica e à engenharia não rotineira, além da política estadual de incentivos fiscais. O Inova Pará parte da premissa de que, para romper com o modelo extrativista, presente na economia paraense, é indispensável que o Estado apoie a criação de Sistemas Regionais de Inovação (SRI), a fim de que propiciem suporte necessário à agregação de valor das cadeias produtivas estratégicas. Em sua concepção, o Programa acredita no potencial produtivo e inovador das distintas regiões do Estado.

Editais

Durante a inauguração, a Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa) lança um pacote de editais de fomento e amparo à pesquisa no Estado, no montante superior a R$ 15 milhões. Neste lançamento estão contemplados novos editais Inter Pará, para a descentralização das pesquisas nas diversas regiões do Estado, bem como novos editais para bolsas de iniciação científica, mestrado e doutorado.

Para o presidente da Fapespa, Eduardo Costa, em um cenário de retração econômica, mais do que nunca é preciso investir em alternativas tecnológicas e inovações. “O Pará vem sendo menos impactado por esse cenário adverso em função do equilíbrio fiscal do Estado. Vivemos o paradoxo do crescimento versus pobreza e desigualdade. Para superar esse modelo precisamos diversificar nossa base econômica e agregar valor aos produtos locais, e isso só pode ser feito com suporte da ciência, tecnologia e inovação”, defende.

Da mesma maneira, será assinado o decreto de regulamento que estabelece a concessão de apoio financeiro, sob a forma de subvenção econômica, pelo Estado do Pará, a empresas nacionais, públicas ou privadas, voltadas às atividades de inovação tecnológica.

Texto e fotos: Karina Martins (Ascom/PCT Guamá) - Com informações da Ascom Sectet