Busca

Notícias

conteúdo principal

Pará detém quase metade de todos os pontos de inclusão digital da região Norte

04/05/2015

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), dos 2.653 Pontos de Inclusão Digital (PIDs) da região Norte, 1.065 estão em território paraense. E o Navegapará, programa mantido de forma conjunta pela Empresa de Processamento de Tecnologia da Informação e Comunicação do Pará (Prodepa) e Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Sectet) tem sido determinante para que o Estado ocupe o primeiro lugar no ranking da inclusão digital no Norte do País.

A Prodepa é o órgão responsável pela Tecnologia da Informação e Comunicação no estado, agrupando tecnologias diferentes de uso contínuo em cerca de dois mil pontos de presença. Partindo dessa atribuição, a empresa vem desenvolvendo ações no sentido de promover a inclusão digital por meio da manutenção, otimização e expansão da internet pública, conectando mais municípios e oferecendo uma conexão confiável e de baixo custo.

Atualmente, o Navegapará está presente em 65 municípios paraenses, com 91 pontos de acesso livre e 165 infocentros. Entre os beneficiados pelo programa estão órgãos do Governo, escolas, delegacias, hospitais, além de prefeituras, entidades do terceiro setor e, principalmente, a população.

A atuação do programa nas chamadas Cidades Digitais, municípios alcançados pelo Navegapará, é referência em projeto de infraestrutura e inclusão digital, servindo de modelo para outros estados e, tecnicamente, exemplo para o Plano Nacional de Banda Larga (PNBL).

De acordo com o presidente da Prodepa, Theo Pires, as parcerias com outros órgãos da administração pública, incluindo também outras esferas de poder, têm contribuído para melhorar o acesso à internet e otimizar o serviço prestado por esses órgãos. “Com a convergência de orçamentos e a construção de parcerias está sendo possível alavancar a melhoria dos serviços e o crescimento da rede”, observou.

Parcerias

Uma das parcerias que melhoraram a prestação de serviço público aos cidadãos que moram na capital foi o acordo de cooperação técnica envolvendo a Cinbesa (Companhia de Informática de Belém), a Prodepa e a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Sectet). Com ele, a prefeitura de Belém passou a dispor de uma rede de fibra óptica de alta capacidade, interligando os órgãos municipais. O resultado é mais agilidade, qualidade e confiabilidade nos serviços ofertados pela administração municipal.

Outra parceria que gerou economia e ampliação dos canais de comunicação foi o acordo entre a Prodepa e o TJE (Tribunal de Justiça do Estado). A finalidade foi incrementar a infraestrutura de redes de comunicação de dados, voz e imagem do Poder Executivo e do Poder Judiciário no Pará. Por ser uma rede própria, a tecnologia dispensada para esse suporte, proporciona maior confiabilidade aos serviços prestados pelo tribunal.

O projeto de expansão das redes de fibra ótica compõe o plano do Governo do Pará de conectar mais municípios do Estado a uma internet confiável e de baixo custo. Em termos práticos, significa dizer que as instituições beneficiadas com as infovias ampliarão o uso da internet em tempo real, intensificando atividades, como a troca de informações entre órgãos. “As regras de compartilhamento vão garantir a segurança corporativa das entidades envolvidas e manter a continuidade dos serviços”, disse Theo Pires.

A Rede Metropolitana de fibra óptica do Governo do Estado interliga órgãos públicos estaduais da capital e da Região Metropolitana de Belém e é composta de 250 quilômetros de cabos lançados com recursos do governo do Estado. O primeiro ente a firmar parceria para o compartilhamento da infraestrutura da rede foi o TJE, que assinou o termo de cooperação no ano passado. Em seguida, a Prefeitura de Belém também aderiu ao compartilhamento.

Os parceiros poderão implantar sua própria rede de dados em alta velocidade e ceder pontos de fibras apagados para os partícipes interessados. O custo para manutenção das fibras também será rateado entre os envolvidos no projeto.

O Marajó também está prestes a entrar na era digital, através da parceria entre Celpa e Prodepa. Após a inauguração de um cabo subaquático para levar energia à região, prevista para este ano, será levado também o cabo de fibra óptica. O primeiro município beneficiado será Ponta de Pedras e, a partir dele, Soure e Breves. O projeto prevê a instalação de 14 quilômetros de fibra no arquipélago. Também em planejamento está o cabeamento de fibra óptica nos municípios de Barcarena e Abaetetuba.

Texto: Nátia Machado - ASCOM PRODEPA