Busca

Notícias

conteúdo principal

Mais de trezentos projetos são inscritos no StartUp Pará

20/06/2022

Programa oferece apoio financeiro de até um milhão de reais e capacitações para as propostas submetidas

Em apenas nove meses, o governo do Pará, por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), abriu oito editais para seleção de propostas de pessoas físicas e empresas paraenses. É o projeto StartUp Pará, que prevê o investimento de cerca de 45 milhões para o desenvolvimento de projetos de inovação, tecnologia, desenvolvimento social e sustentável em todo estado. As inscrições para os editais abertos nesse período foram encerradas no início deste mês. Outros seis editais estão previstos para o segundo semestre deste ano.

Foram submetidos no StartUp Pará 328 projetos de Belém e outros 35 municípios e mais de 260 poderão receber incentivos financeiros que variam de R$ 20 mil a R$ 1 milhão, além de apoio técnico com capacitações e mentorias em diversas áreas de negócios.

Para a titular da Sectet, Edilza Fontes, este é um programa inovador por si só, pois as startups paraenses jamais receberam incentivos deste patamar. “O Governo do Pará, por meio da Sectet e da Fapespa, tem investido de maneira incisiva em projetos de startups por considerar uma atividade essencial ao crescimento da Amazônia nos mais variados campos, passando pela educação, saúde e gestão pública, entre outros, com apoio da tecnologia à serviço da população. Desta forma, abre-se um leque de oportunidades para que o ambiente de inovação possa ser favorável aqui no estado”, destaca a secretária.

Empreendedorismo, sustentabilidade e inovação

Os projetos inscritos atendem as chamadas do programa que visam apoiar ideias gerenciadas por mulheres para promover o empreendedorismo feminino; propor soluções tecnológicas aos problemas na cadeia de hortifruticultura estadual; criar iniciativas para apoio a laboratórios multiusuários para a universalização do acesso da comunidade acadêmica e empresarial. Os proponentes submeteram também projetos de desenvolvimento tecnológico ou de inovação.

Outra oportunidade foi para iniciativas de impacto socioambiental dentro do Programa Territórios Pela Paz (TerPaz), desenvolvido pelo governo do estado, que institui políticas de inclusão social e redução da violência nos bairros Cabanagem, Bengui, Terra Firme, Guamá, Jurunas, em Belém; Icuí, em Ananindeua; e  Nova União/São Francisco, em Marituba.

Propostas que visam contribuir em setores com potencial para aceleração do desenvolvimento do estado também foram inscritas no Startup Pará. As iniciativas submetidas irão receber recursos de subvenção econômica para o desenvolvimento de produtos, processos e ou serviços inovadores em diversas áreas. A iniciativa tem ainda projetos inscritos para concessão de bônus tecnológico, que devem contribuir para o crescimento sustentável do estado e ampliar a conexão de parceiros do ecossistema paraense de inovação entre as micro, pequenas e médias empresas paraenses.

Os editais abertos contemplam propostas em áreas como educação, energia, mineração, saúde, govtech, agrotech, biotecnologia, tecnologia da informação e comunicação, inteligência artificial, logística, meio ambiente, economia criativa, segurança pública, bioindústria, tecnologia educacional, agroindústria alimentar, entre outras.

Participantes de Igarapé Açu, Marabá e Portel

A empreendedora de Igarapé-Açu Carolina Magalhães inscreveu no Startup Mulher um projeto de turismo de base comunitária para apoiar pequenos negócios localizados na zona rural do município. A iniciativa pretende atrair turistas para conhecer as belezas naturais e a gastronomia. “Essa gastronomia e esses espaços de turismo serão apresentados por quem vive nesses territórios. O turista não é só recebido para viver um turismo de experiência, mas é acolhido por essas comunidades tradicionais. Essa é a nossa ideia. É inovador porque não temos nenhuma ação nesse sentido aqui na região”, detalha.

Já o empresário do ramo de cosméticos em Marabá, Simão Sousa, submeteu para concessão de Bônus Tecnológico um projeto que propõe o aumento de renda por meio da venda online de produtos de perfumaria com a criação de um aplicativo. “É uma plataforma que agrega um aplicativo que pode ser baixado na Play Store. Depois já vai ter uma loja virtual cadastrada e um sistema em que a pessoa vai fazer o controle financeiro dela e vai poder vender produtos”, explica.

Já na chamada para parceiros municipais, a prefeitura de Portel, por intermédio da sua Secretaria de Cultura, Esporte, Lazer e Turismo, submeteu um projeto para melhorar o turismo do município, “Nossa cidade é repleta de praias, igarapés, rios, cachoeiras. Um cenário muito favorável para o desenvolvimento do turismo. Com isso nós vamos com certeza injetar esse recurso na nossa economia e fazer com que o município de Portel possa de fato desenvolver e entrar no rol dos municípios que trabalham com turismo”, reforça o secretário municipal, João Lima.

Texto: Ascom/Fundação Guamá