Busca

Notícias

conteúdo principal

A importância da prática de atividades físicas foi tema de live promovida pela Sectet

15/09/2020

Nesta terça-feira (15), os servidores da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) participaram de mais um debate ao vivo pela internet. Desta vez, o tema em pauta foi “A importância do exercício físico para a saúde mental e corporal”. A atividade faz parte do Programa Amplo de Valorização do Servidor,  iniciativa do Núcleo de Acolhimento Psicossocial da Coordenação de Gestão de Pessoas (CGepes), ligada à Diretoria de Administração e Finanças (DAF) do órgão, que promove lives mensais  com convidados que esclarecem sobre diversos assuntos.

 Na ocasião, o convidado foi o educador físico, pós-graduado em fisiologia do exercício e personal trainer, Diego Farias. Ele fez questão de ressaltar que a prática de atividades físicas é de fundamental importância para manter a saúde, não só física, mas também mental das pessoas. “O fechamento das academias neste momento de pandemia foi muito difícil, pois há pessoas que utilizam a academia como uma válvula de escape do seu dia a dia”. O professor lembrou ainda que os abalos mental e físico podem gerar uma porta de entrada algumas doenças.

Diego Farias aproveitou para tirar as dúvidas dos servidores a respeito da prática de atividades físicas com o uso de máscara. Além disso, ele ainda deu dicas de como as pessoas que pararam de praticar exercícios durante o período de quarentena podem voltar a realiza-los de forma saudável. O professor também explicou que, aos poucos, as pessoas estão perdendo o medo de voltar às atividades. “As pessoas estão perdendo o medo, as academias estão com normas de limpeza e distanciamento. No início, estavam com medo de frequentar, mas viram que é importante a atividade física para o seu sistema imunológico”.

Nesse ponto, a servidora Odete Sabá questionou tanto o professor quanto a psicóloga da Sectet, Adriana Nascimento, a respeito do dilema medo versus necessidade. Diego Farias lembrou que é necessário traçar estratégias de segurança, mas parar de praticar atividades pode gerar problemas físicos e psicológicos que provocam outras doenças como ansiedade, depressão, obesidade, diabetes, artrite etc.

Adriana Nascimento complementou explicando que o medo é um fator de proteção orgânico, necessário à vida, entretanto, tantos meses de quarentena fizeram com que as pessoas, de certa forma, naturalizassem esse medo pela necessidade de voltar à rotina e à socialização. “As pessoas já não estavam mais aguentando ficar em casa e a procura por atendimento psicológico foi elevadíssima. O que precisamos ter é responsabilidade social e consciência. Isso sim deve estar mais aguçado que o medo. O organismo sempre busca um equilíbrio, emocional e físico”, concluiu a psicóloga.

Por fim, os servidores agradeceram a participação e os esclarecimentos do convidado. A Coordenação de Gestão de Pessoas (CGepes) informou ainda que o próximo tema abordado será “A mulher no mercado de trabalho no momento da pandemia”, quando a secretária adjunta da Sectet, Edilza Fontes, vai falar sobre o assunto no dia 13 de outubro.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)