Busca

Notícias

conteúdo principal

Fapespa e Sectet iniciam o levantamento do Ecossistema Pará

04/08/2020

Teve início nesta segunda-feira (3) o levantamento de informações para a base de dados do Ecossistema de Empreendedorismo e Inovação do Estado do Pará - Ecossistema Pará, que faz parte do Programa Startup Pará, desenvolvido pelo governo do estado por meio da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisa (Fapespa) e da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet). A coordenadora do Startup Pará, Maria Trindade, explica que o Ecossistema Pará irá concentrar informações sobre o ecossistema de inovação do estado que irá nortear as políticas públicas do governo para o setor.

“Ciência, tecnologia e informação são fundamentais para o desenvolvimento e crescimento econômico, além de gerar renda e melhorar a qualidade de vida das pessoas. Nós não temos uma base de dados para mapear ações concretas de políticas públicas voltadas para isto, então, é nessa perspectiva que esse mapeamento vem trabalhar para servir de direcionamento para novas políticas públicas”, salienta a coordenadora.

Mapeamento - O projeto tem o objetivo de mapear as instituições de base tecnológica, ICTs (Instituições de Ciência e Tecnologia), instituições de ensino, parques de ciência e tecnologia, incubadoras, startups, aceleradoras, empresas iniciantes, investidores e hubs de inovação e demais empreendimentos que formam o ecossistema de inovação do estado.

Para fazer esse levantamento, o programa disponibiliza em seu site um questionário que precisa ser preenchido por empreendedores e representantes de startups e demais instituições que compõem o ecossistema de inovação do Pará.

“O Ecossistema Pará é parte das ações que buscam tornar o Pará um ambiente amigável para empreendedores, sendo estratégico para apoiar nossas decisões, tão necessárias para as políticas públicas”, destaca o Secretário Carlos Maneschy.

Iniciativa - Para Fábio Mendes, que trabalha com tecnologia e informação há 10 anos, todos os programas que incentivam o crescimento das iniciativas tecnológicas são fundamentais para a aceleração e crescimento de empresas da área tecnológica.

“Quando você vai a um banco, por exemplo, é difícil conseguir empréstimo, pois não tem crédito para startup. Então, todos esses programas são muito importantes para a gente. O governo precisa estar integrado com esse tipo de novas empresas. Se isso acontece, há o senso de integralidade”, ponderou o empreendedor.

Recentemente, a empresa de Fábio Mendes lançou um aplicativo chamado Pimpo, que tem o objetivo de guardar dados sobre a saúde das crianças. A plataforma permite que pais e médicos possam deixar registradas informações sobre consultas, medicamentos, calendário de vacina e detalhes sobre os filhos. Tudo isso para deixar as informações arquivadas de maneira mais prática e à mão no celular, informou o empreendedor.

Contribua com o Ecossistema Pará preenchendo o formulário aqui

Texto: Compilado pela Ascom Sectet a partir de publicações da Secom (Larissa Noguchi) e da Fapespa.
Foto: Agência Pará (Marcelo Seabra)