Busca

Notícias

conteúdo principal

Biotec-Amazônia atua de forma estratégica para a consolidação da bioeconomia paraense

06/11/2020

Em fase de articulação com empreendedores interessados em utilizar de maneira sustentável a biodiversidade amazônica para novos negócios e agências de financiamento locais, regionais, nacionais e internacionais, a BioTec-Amazônia, organização social parceira do Governo do Estado, avança no processo de consolidação do Centro de Desenvolvimento Regional (CDR) do Pará.

Em 29 de outubro de 2020, foi realizada de modo virtual a 2ª Oficina Centro de Desenvolvimento Regional de Homologação da Carteira de Projetos, sob a coordenação da BioTec-Amazônia em conjunto com o Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE). O evento apresentou pesquisadores responsávei por 106 projetos voltados para o progresso do Estado a representantes de instituições de pesquisa, dos governos federal, estadual, municipal e ainda a federações empresariais.

A BioTec é responsável por articular as possíveis fontes de financiamentos para viabilizar a execução dos projetos selecionados. “O Governo do Estado será um dos parceiros nesta ação, por meio da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa) e a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) já analisa a carteira de projetos para identificar quais são os de maior interesse para o desenvolvimento estratégico do Pará”, informa Carlos Maneschy, titular da Sectet.

O objetivo é tirar do papel projetos voltados para o desenvolvimento tecnológico e científico da região amazônica, com foco na bioeconomia, que é, segundo Sérgio Alves, diretor de Articulação Público-Privada da BioTec Amazônia, uma das frentes de inovação mais valorizada e promissora em todo o mundo. 

“A bioeconomia ganha relevância redobrada quando se trata de Amazônia, por ela conter a maior reserva florestal e de biodiversidade do planeta. Entendemos que não há futuro para a economia da região, em bases sustentáveis, que se relacionam as suas riquezas naturais renováveis, sem uma bioeconomia moderna, inovadora, pujante e em crescimento constante”, observa Sérgio Alves.

CENTRO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL (CDR)

No início de 2020, foi instituído no Pará o Centro de Desenvolvimento Regional (CDR) , que funciona como um núcleo de articulação entre ministérios para promover projetos de pesquisa científica voltados para Ciência e Tecnologia. A intenção é de que tais iniciativas se traduzam em desenvolvimento socioeconômico para o Pará, gerando emprego e renda, por meio da consolidação da bioeconomia no Estado. 

Gerenciada pela BioTec-Amazônia, que teve o contrato de gestão renovado pelo Governo do Estado por mais um ano, as principais metas da parceria envolvem a atração e fixação de empresas no Pará e o desenvolvimento de oficinas de capacitação e qualificação para o quadro de pessoal que atua no processo de inovação tecnológica. 

“A iniciativa deste trabalho representa uma novidade no ramo da economia contemporânea, que não existia, até então, na história do Pará. Estamos apenas está começando, mas de maneira sólida e com produtos concretos a apresentar, como é o caso da Carteira de Projetos em bieconomia, vamos avançando, com esforço contínuo e permanente”, finaliza o diretor de Articulação Público-Privada da BioTec-Amazônia.

Texto: Giovanna Abreu (Secom)

Foto: Divulgação