Busca

Notícias

conteúdo principal

Alunos de cursos técnicos começam a ter aulas de forma semipresencial em Ulianópolis

26/05/2021

Na última segunda-feira (24), os alunos dos cursos técnicos em química e em açúcar e álcool participaram das primeiras aulas do curso de forma semipresencial em Ulianópolis. Oferecidos pelo governo do estado, por meio da Secretaria de Estado de Ciência Tecnologia e Educação Superior Profissional e Tecnológica (Sectet), os cursos são executados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e contam com a parceria da empresa Pará Pastoril e Agrícola S/A  (Pagrisa).

No total, foram ofertadas 40 vagas para cada um dos cursos que se enquadram na modalidade técnico subsequente e terão duração de 18 meses. As aulas iniciaram de forma remota no dia 26 de abril a fim de manter a segurança dos alunos e professores. Com a mudança de bandeiramento da região, entretanto, foi possível começar as aulas de forma semipresencial no dia 24, relatou o diretor do Senai – CEP Paragominas, Antonilson Conceição.

Ele explica que as aulas ocorrem em dois turnos. O curso de técnico em química pela tarde e o técnico em açúcar e álcool no período noturno. Cada turma foi dividida em duas, portanto 20 alunos ficam em uma sala com o professor e os outros 20 podem ficar em outra sala com equipamentos que possibilitam a transmissão simultânea, assim como podem assistir pela plataforma digital de forma remota se preferirem.

Para o diretor do Senai, essa parceria com o governo do Pará e a Pagrisa possibilita que os alunos, assim como as demais personagens envolvidas no contexto local, tenham uma nova perspectiva de vida.  “É muito gratificante ver que a educação e a capacitação profissional estão mudando o cenário desses alunos e dando oportunidades de novas chances no mercado de trabalho”, avalia.

Segundo o coordenador de ensino técnico e tecnológico da Sectet, José Neto, quando a Secretaria faz as articulações para a oferta de um curso é justamente nisso que se pensa. “É importante sempre avaliarmos de que forma será possível mudar a perspectiva e qualidade de vida da população local aproveitando a vocação econômica daquela região e as demandas do mercado”, explica o coordenador. 

A estudante, Ayane Gomes, de 20 anos, que morava em Marabá e soube da oferta do curso por intermédio de familiares, mudou-se para Ulianópolis por causa do curso técnico em química e considera a oportunidade única.  “Estou adorando as aulas. As expectativas são muito grandes, porque vamos fazer a parte prática no laboratório da empresa, onde vamos complementar o nosso conhecimento. Temos que agarrar esse tipo de oportunidade e agradecer porque um curso gratuito assim não é fácil encontrar, por isso vou me dedicar ao máximo”, promete a estudante.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)