Busca

Notícias

Início » Notícias » 9ª Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação inicia no Hangar
conteúdo principal

9ª Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação inicia no Hangar

09/08/2018

A 9ª edição da Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação iniciou na noite desta terça-feira, dia 07, na ocasião cerimônia de abertura do evento internacional “Belém+30”, o qual agrega ainda o XVI Congresso Internacional de Etnobiologia, o XII Simpósio Brasileiro de Etnobiologia e Etnoecologia e a I Feira Mundial da Sociobiodiversidade. Mais de 1.500 participantes estiveram presentes no Hangar Centro de Convenções da Amazônia para prestigiar o debate inicial sobre o tema do evento: os direitos dos povos indígenas e populações tradicionais e a conservação da biodiversidade três décadas após a Declaração de Belém.

“A Carta de Belém foi redigida em 1988 por pesquisadores, ambientalistas e representantes indígenas de 25 países. Trinta anos depois, conseguimos reunir pessoas de mais de 40 países, tornando o ‘Belém +30’ muito mais do que um congresso. Queremos sair daqui com a Declaração de Belém revisada e renovada, contendo linhas que respeitem cada vez mais os direitos dos povos tradicionais”, afirmou o professor e presidente da organização do evento, Flávio Barros, que abriu a cerimônia.

A Feira Estadual é organizada anualmente pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), que convida as principais instituições de ensino e pesquisa do Pará, empresas e órgãos ligados ao setor para expor seus principais projetos com o objetivo de popularizar a ciência. Já o Belém +30 é organizado pela Universidade Federal do Pará (UFPA), Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG) e Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp), em parceria com diversas outras instituições de ensino e pesquisa do Brasil e de vários países.

“Decidimos nos unir ao Belém+30 por ele representar uma oportunidade única ao público da Feira Estadual de interagir com diversas matrizes étnicas acerca de um tema tão importante na atualidade. Esperamos que o diálogo travado aqui entre pesquisadores, estudantes e os povos tradicionais possa ser um norte para a construção de uma nova consciência de sociedade, em que a floresta em pé possua mais valor que uma floresta derrubada, por exemplo”, declarou o titular da Sectet, Alex Fiúza de Mello, na abertura do evento.

Compuseram, também, a mesa de abertura o reitor da UFPA, Emmanuel Tourinho, a diretora do MPEG, Ana Albernaz, o presidente da Sociedade Brasileira de Etnobiologia e Etnoecologia, Gustavo Soldati, a professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Elaine Elisabetsky, e representantes dos povos tradicionais, entre eles o Cacique Raoni Metuktire e a indígena do povo Kaingang, Iracema Katej, que foi aplaudida de pé após sua fala sobre a degradação das florestas brasileiras e a proteção dos povos indígenas.  

Programação – Até o dia 10 de agosto, o público visitante da Feira de CT&I poderá conferir 30 estandes com exposições de trabalhos e experimentos que visam despertar o interesse pela Ciência e pelo espírito inovador. A Universidade Federal Rural da Amazônia, por exemplo, trouxe para a Feira a exposição de tecnologias sociais de baixo custo capazes de transformar a vida das pessoas, como o sistema de captação de água de chuva e o Banheiro Ecológico Ribeirinho (BER), alternativa de saneamento que transforma fezes e urina, vetores de doenças, em adubo orgânico.

No dia 10 de agosto, às 8h30, a Feira realizará uma edição do “Sexta com Ciência”, um projeto Sectet para debater sobre temas importantes que visam o desenvolvimento do Pará a partir do espírito inovador, da prática científica e do uso da tecnologia em favor da redução das desigualdades sociais. O tema trazido para esta edição será “O diálogo entre as populações tradicionais, a Ciência e a Tecnologia na Amazônia”, e contará com a apresentação de membros da Organização Social BioTec-Amazônia, do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio) e representantes de comunidades do Combú e Abacatal.

O Belém+30 irá oferecer ao público palestras, sessões acadêmicas, mesas de trabalho, sessão de pôsteres, minicursos e uma extensa programação artístico-cultural com apresentações de carimbó, lundu, marujada, guitarrada, capoeira, tambor de crioula, cordão de pássaros, bois, entre várias outras manifestações.

A Feira Estadual de CT&I está aberta ao público das 9h às 19h, no Hangar, e conta com o patrocínio do Banco do Estado do Pará (Banpará), do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), da Federação das Indústrias do Estado do Pará (Fiepa), da Faculdade Ideal e do Centro Universitário do Estado do Pará (Cesupa). Mais informações sobre o evento no site: http://semanact.pa.gov.br. Confira a programação completa do Belém+30 no site: www.ise2018belem.com.

Texto: Igor de Souza - Ascom Sectet