Busca

Clipping

Início » Central de Conteudo » Clipping » Sectet leva estudantes e professores à fábrica de chocolate
conteúdo principal

Sectet leva estudantes e professores à fábrica de chocolate

Assunto Data Veículo Tipo
Sectet na Feira do Livro segunda-feira, Maio 25, 2015 Agência Pará Online
Energia Solar quarta-feira, Outubro 14, 2015 ORMNews Online
Fórum de Tecnologias Sociais terça-feira, Outubro 27, 2015 ORM News OnLine
Cursos Profissionalizantes terça-feira, Outubro 4, 2016 G1 Pará Online
Cursos Profissionalizantes quinta-feira, Outubro 13, 2016 Diário OnLine Web
Programa Inova Pará quarta-feira, Março 1, 2017 Rádio Cultura Rádio
Programa Pará Profissional sexta-feira, Março 24, 2017 Tribuna Tapajônica On-line (Blog)
Inauguração do Laboratório do Leite sexta-feira, Maio 12, 2017 Diversos Diversos
Prêmio de Inovação na Indústria Mineral segunda-feira, Maio 8, 2017 O Liberal Impresso
Curso Técnico em Açúcar e Álcool segunda-feira, Junho 26, 2017 Rádio Cultura Rádio

Páginas

Informações: 

Um grupo de estudantes e professores dos cursos de Engenharia Agronômica, do campus de Altamira da Universidade Federal do Pará (UFPA), e do curso técnico em Administração do Instituto Federal do Pará (IFPA) visitaram nesta quarta-feira (06) a fábrica de chocolate da empresa Cacauway, localizada no município de Medicilândia, no oeste paraense. A atividade integra a “Semana do empreendedorismo inovador para a cadeia produtiva do cacau”, uma iniciativa da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) para disseminar a cultura do empreendedorismo, da tecnologia e da inovação na Região de Integração do Xingu.

A Cacauway surgiu em 2010, a partir da união de agricultores familiares, e hoje desponta como uma das mais importantes fábricas de chocolate da Região Norte. A empresa utiliza dos frutos às folhas do cacaueiro, produzindo amêndoa torrada “in natura”, chocolate em pó, barras, trufas, licores, geleias e peças artesanais. Os visitantes conheceram as etapas da linha de fabricação e participaram da degustação de produtos da empresa.

“É a primeira vez que venho à fábrica e fiquei muito feliz em saber os detalhes da fabricação dos chocolates. É gratificante saber que, na nossa região, temos produtos de boa qualidade, com grande potencial para ganhar mercados internacionais”, disse a estudante Mauricéia Medeiros, da UFPA.

Incubadora - A “Semana do empreendedorismo inovador” celebra o início da implantação da Incubadora de Empresas do Xingu, que será instalada no campus de Altamira da UFPA. “Os estudantes que hoje visitaram a fábrica são fundamentais no projeto da incubadora, pois serão os bolsistas das empresas incubadas e os futuros empresários da região”, afirmou o professor Rainério da Silva, do curso de Engenharia Agronômica.

À tarde, o evento continuou com a oficina sobre os processos para incubar uma empresa, ministrada pelo especialista e técnico da Sectet Wander Oliveira, seguida por depoimentos dos parceiros e participantes da semana sobre a futura incubadora do Xingu. “Sempre houve um sonho de industrializar o cacau aqui na região. A incubadora é um mecanismo interessante na concretização desse anseio, pois fará com que pequenos produtores produzam produtos diferenciados no mercado”, informou Alino Bis, assessor técnico da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac).

Resultados - A secretária adjunta da Sectet, Maria Amélia Enríquez, avaliou de forma positiva os resultados obtidos no evento para a implantação da incubadora. “O sucesso de uma incubadora está nas parcerias e no trabalho em rede. Esse evento é fundamental para dar início a tudo isso. A incubadora será um importante mecanismo para agregar a cultura da inovação à cadeia produtiva do cacau, que já possui iniciativas brilhantes, mas sem apoio técnico, científico e governamental para alavancar esses projetos e melhorar o cenário da indústria cacaueira na região”, ressaltou a secretária.

O evento contou com o patrocínio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-PA) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), e o apoio do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRS-X), do Sindicato dos Produtores Rurais de Altamira (Siralta); da Ceplac; da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater); da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap); da Agência de Inovação Tecnológica da Universidade Federal do Pará (Universitec-UFPA).

Por Igor de Souza